Encontro íntimo

Bem vindo!

Este é um espaço para falarmos sobre assuntos que raramente são tratados em público e que considero necessários para uma vida saudável e alegre. Espero que você seja edificado e também se divirta!
Obrigada por sua visita!

Home . Artigos . Ainda creio na humanidade

Artigos

Ainda creio na humanidade

tulipas Ainda creio na humanidade

Silvia Geruza F. Rodrigues

A visão negativa do mundo e da humanidade vara séculos. Desde o século IV  a partir da visão negativa do mundo do Bispo de Hipona, Agostinho, místicos e religiosos, os primeiros pais da Igreja perpetuaram a ideia da maldade no ser humano.

No ápice da Idade Média um pessimismo sobre a vida, o mundo e o ser humano ganhou notoriedade. Na literatura monástica, segundo Jean Delumeau, a acusação contra a vida humana atingiu uma violência e uma dimensão novas.

Inocêncio II, Teresa D’Ávila, Agostinho de Hipona, Crisóstomo e muitos outros, inclusive o escritor Erasmo descreviam a terra e o ser humano como algo terrível.

Inocêncio II escreveu: “O homem nasceu para o trabalho, para a dor e para o  medo, e – o que é pior- para a morte.”

Catarina de Siena, mulher fervorosa, inteligente, teóloga, enxergava o ser humano como “homens criminosos, mergulhados numa terrível miséria, privados da luz, com a corrupção da morte na alma. Seres de escuridão e de trevas, que vão cantando e rindo, dispersando seu tempo na vaidade, nos prazeres, na baixa luxúria.”

Para Catarina, nenhum pecado era pior e mais abominável do que o da carne.

Teresa D’Ávila se admirava que Deus pudesse  se comunicar a partir “deste exílio com vermes da terra tão abjetos.”

O líder protestante Calvino, cria que o “homem é terra e pó, verme e podridão.” Para ele, todos que olhassem para dentro de si teriam que se desprezar, se almejavam um mínimo de conhecimento de Deus.

Voltando para nossos dias, sei que tivemos o desastre de Mariana, pela irresponsabilidade de grupos que visam somente o lucro, e nosso governo ainda não fez quase nada para fazê-los pagar os que foram alcançados pelo desastre ambiental, financeiro e moral.

Sei que temos a operação lava-jato  no Brasil, e a corrupção corre solta pelo meio político.

Sei que a injustiça social no Brasil põe a todos em um risco de uma violência sem precedentes. Não há mais segurança nem na menor cidade do Brasil. A cerca do lucro e do capitalismo selvagem caiu. Estamos todos expostos a cada esquina.

Sei que pessoas nos roubam, nos maltratam, nos ferem. Contudo, ainda creio na humanidade.

Cristo nos fala em Jo. 10:10 que veio para nos trazer uma vida abundante, de alegria. Por todo o livro de João o amor de Cristo nos compele a ainda crer na vida. Deus é amor. Ponto final. Quando cada um de nós encarna esta verdade, se O amamos, o amor que nasceu com sua vinda se espalhará.

O milagre do amor não virá de maneira sobrenatural. Ele já veio, andou entre nós e nos deixou o exemplo maior: sentou com as prostitutas, perdoou a mulher considerada mais impura da cidade, falou com uma mulher de vida duvidosa em Samaria. Ele rompeu barreiras, deu as mãos ao pobre, ao rejeitado pela sociedade. Ele creu na humanidade e pediu que seguíssemos seu exemplo.

Não, você não precisa se sentir miserável, desesperado, desesperançado, considerando-se um verme podre. A graça e o amor de Deus nos alcançou. Somos uma nova criatura. As coisas velhas podem ser abandonadas. Você pode abraçar o amor, o perdão e viver alegre aqui mesmo na terra.

Não, o mundo não é podre. Viver é realmente um risco, mas você pode ver sua beleza no sorriso de uma criança, num abraço, em cada bebê que nasce, em cada flor que brota, em cada compartilhar com o próximo, em cada ajuda mútua, Ele está presente e o amor prevalece.

Através de você e de mim, o mundo pode deixar de ser esse lugar tenebroso dos místicos e religiosos. Podemos sim, com nossa atitude tornar o mundo melhor para nossa geração e as vindouras.

Você não precisa se desesperar. Abra seu coração para o amor e o espalhe-o, para que a alegria, a pureza e a beleza de viver possam se tornar realidade.

 

 

Compartilhe

4 comentários

  • Ivete de Oliveira Gomes disse:

    A Paz do Senhor Amada.Palavra maravilhosa que nos leva a pensar,no que fomos ,no que somos ,e no que seremos ,se não mudarmos .Tenho tido decepções que já acreditava ser esse verme irreparável ,todo final de ano a mesma coisa vou mudar,mas continuo a mesma ,decepções com pessoas que depositei minha confiança e ate hoje não confio .Mas o nosso Deus é o único que não nos deixa só nos momentos mais difíceis que passamos ,Obrigada por palavras tão maravilhosa,pois consegui me ver e sentir que sou alguém bjssssss

  • Rita disse:

    Lindo texto!
    .
    Podemos mudar os horizontes espalhando o amor de Cristo.

  • Leny Brito disse:

    Depende de cada um de nós. Temos que continuar acreditando, sempre. Bjo rsrs

Deixe seu comentário